10.8.13

STUDIO BABY


aí eu não quis envelhecer mais alguns anos,
nem contemplar a mesma fuga (válvula de escape),
pequena dose de amor que você deixou secar ao sol por culpa de algum erro, noitada, drogas, lance obscuro, carinha de anjo suspenso,
é que você trancou as portas e eu me cansei do mundinho
como no filme em que a balzaquiana quis desistir de tudo enquanto lavava os pratos, molhava as plantas, caía adormecida no sofá,
faltaram plumas, mistérios,
organização das roupas íntimas, ressaca ao entardecer, relações cortadas,
o vento numa desarmonia que desajustou a cabeça, os cachos,
o filme noir,
whitman whitman whitman que me deixa mais louco na transversal,
o ódio platônico,
o jeans que tem caída melhor nele do que em mim,
grana guardada no bolso, a reação íntima, intimidade procrastinada,
sexo entre cavalos do mesmo naipe e eu ainda preciso muito que você seja
uma pessoa sozinha,
relevante no mundo,
deixando alguma história após a morte,
caindo de quatro enquanto é tempo, forçando a barra,
pois a gente nunca consegue se libertar de uma determinada pessoa,
a pessoa em questão,
você sabe o nome e pensa e vive quase eternamente,
pois o mundo é nosso pequeno segredo filho da puta,
sexo monocromático que não teve estampas,
apenas lantejoulas.

Imagem: Lorella Peleni

12 comentários:

  1. Está parecendo que ele (ou ela?) quer menos passividade do companheiro (?). Sei lá. Deu essa impressão.

    ResponderExcluir
  2. A.D.O.R.E.I
    Sobre as ultimas palavras d post me fez lembra de uma frase "A vida é uma puta velha que vi sem os dentes".

    Imagem incrível!

    ResponderExcluir
  3. Muito foda, melhor texto seu, na minha opinião.

    ResponderExcluir
  4. Não sei se estavas em aflição mas seu texto transmitiu isso para mim. Uma pressão. Imagino você sendo sufocado por esses pensamentos...

    Belas palavras,
    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Querido LaCarne, viva Whitman, viva teu texto...com uma pequena dose de amor, quem sabe deixando alguma história após a morte...um post perturbador, só para variar rs. LaCarne me confundo e me encontro ao mesmo tempo quando estou aqui...nos posts passados que não comentei, mas li, adorei encontrar novamente Ana Cristina Cesar, minha poeta do coração, da mente e de cabeceira.
    ps. Meu carinho meu respeito minha admiração e meu abraço.

    ResponderExcluir
  6. Fiquei cá pensando um monte na "carinha de anjo suspenso". Tive até que parar de ler, pois a imagem foi muito forte; tive que dar um tempo pra ler até o fim. Bom isso, né?

    ResponderExcluir
  7. Extasiante como sempre!
    Entro aqui e saio inspirado!

    ResponderExcluir
  8. Gente...
    Tu me entusiasma sabia?!

    Vou escrever pensando em ti no meu próximo post!

    ResponderExcluir