20.7.11

yyy, sim, porém, não:

O destino compensa, triste desencanto diante das possibilidades. Em desacordo com o que eu havia planejado, um silêncio mortal tomou as rédeas. Desisti por um tempo de narrar, sob uma perspectiva pós-moderna, os relatos e constatações das amigas Tangerine e Clementine. Estávamos num café enquanto eu tomava nota de todos os podres e atos pitorescos dos homens sem um pingo de sex appeal. Segundo elas, a cantada ao pé da orelha se resume ao transtorno que é ser invadida durante abraços sem pegada, beijos sem sal, descontroles da ereção. Clementine é comprometida, o que lhe garante o viés de fina observadora. Já Tangerine, ela é neurótica como eu.

Sumi por um tempo do meu contato diário com F. Nossos e-mails são remédios de tarja preta que amenizam as recaídas das dores. Refletimos (ele, de Madri, eu, de Fortaleza) sobre o porquê das ciladas. Mas hoje prestarei contas da salvação momentânea, no caso.

Joana Rosa K fortalece o andar aos barrancos. Temos projetos literários, ela será minha editora, além da alegria em sabê-la como primeira fiel grande leitora.  Joana profetiza um enorme sol diante da noite sem estrelas. (Os detalhes do nosso night out é segredo, coisas simples, porém secretas).

Lady Lazarus na botecagem de terça, não compareci por desajuste, muito o que fazer, pensar, tricotar, refletir, blá blá blá.

Enquanto isso, Lalheska Lanvin me estupra um sorriso numa de suas entrevistas, quando ela pergunta: "E as influências? Além das experiências extraterrestres".

14 comentários:

  1. vejo você entre palavra e outra, mas algo está mudado, como se fosse nova costureira arrematando alta-costura. quero estudar os pontos e alinhavos (porque nunca deixa de valer a pena). obrigado por voltar. besos.

    ResponderExcluir
  2. Hum... eu ia pedir desculpas pela ausência dos últimos dias, mas já que também esteve ausente, então estamos quites rs

    Você também estuprou um sorriso meu com essa frase maravilhosa.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. O Zé daria em cima da Clementine sem sombra de dúvidas, LaCarne.

    ResponderExcluir
  4. Impossível começar a ler e parar o texto no meio, umas vez que suas frases são puro ritmo.
    Primeira vez aqui. "Porém, não:" a última.

    ResponderExcluir
  5. seguindo também e muitíssimo honrada pelos elogios! e tentando decifrar as personagens desse post, uma vez que a priori tenho muito acordo com as queixas... ;)

    ResponderExcluir
  6. Antônio Lacarne (O meu querido Toninho, no caso) Ele " profetiza um enorme sol diante da noite sem estrelas". Tenho lágrimas nos olhos agora....e um infinito amor por tudo que você escreve.


    Joana Rosa k

    ResponderExcluir
  7. Compartilho das queixas de Clementine e Tangerine... rs

    ResponderExcluir
  8. receio que uma única bela manhã não te vá bastar para organizar todas essas lembranças! ao menos eu tenho feito isso há mais de um mês e ainda não estou nem na metade...

    ResponderExcluir
  9. Que delícia de texto !!!
    Bom do começo ao fim , com pitadas
    de excelente ironia bem humorada ...
    ;)

    Antônio , você faz falta !


    Bjo.

    ResponderExcluir
  10. Gostei demais do seu texto meu amigo,
    extremamente bem delineado
    e que ousadia, um estupro de um sorriso,
    uma fala. Adorei,
    fique bem.

    Dan

    ResponderExcluir
  11. O estupro de um sorriso? Não há como não voltar a visitá-lo.

    :) Até logo caro LaCarne.

    ResponderExcluir
  12. Olá!Passando para conhecer seu blgo e retribuir a visita.
    Parar e observar os relacionamentos humanos é um tanto caótico e assustador tudo parece um tanto superfluo e descartável.
    Beijos

    ResponderExcluir