28.7.11

o morro das impenetráveis uivantes


aqui jaz o limbo das conspirações, linguagem ferrenha no duelo de divas. tom maior sobre o tom pasmódico das luzes. close-up que não enriquece as entranhas (não sufoca os elos do eu sou eu, você é você).

noções de self-marketing (pois é preciso?), no entanto sacudimos nossas correntes em relação ao outro, abocanhando a (in)dignidade do outro - ângulo convexo, no caso.

somos monstros. ratazanas de bordel. abajur intolerante no centro da escuridão.

um telegrafista é maravilhosamente bem vindo. compensamos o dinheiro ralo com:

a) atenção em demasia (decodificando os fluxos do amor);
b) elogios protuberantes (o realce da cor dos teus olhos);
c) carnaval em dia santo (pois a dança é o latido dos cães modernos).

eu sou o que você quiser, baby. e não tenho vergonha.

imagem: siyu chen

20 comentários:

  1. Maluco de bom esse texto,


    bjos

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Muito interessante teu blog, já estou seguindo!!!

    “É nesse ar fresco que meus cabelos são levados, é neste perfume que os lírios exalam...”

    Abraços,

    Rafah
    Blog Eternus!
    Http://eternizadoempalavras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Um texto como esse, merece ser lido mesmo por muita gente.

    Acho que é o melhor texto de blog que li essa semana.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Quando a convicção fala mais alto, o tom tem que ser no imperativo.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  5. Um poema que pode ser lido de ponta cabeça,interessante. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia, passei para te agradecer a visita e te dizer: volto a noite para te ler, me aguarde...abraços!

    ResponderExcluir
  7. Antônio,


    Você se superou , meu amigo ...
    ;)
    Perfeito , contundente , um soco no estômago!
    Adorei!!!


    Bjo Grande.

    ResponderExcluir
  8. Em estado bruto.

    Também gosto assim.

    =*

    ResponderExcluir
  9. sabe que esse é o tipo de blog que idealizo e tento a tempos (não no lona falta)? um diário pra jogar com o que ando pilhando dos dias, cinco a dez postagens por mês, fazer da criatividade algo cada vez mais espontâneo e desconcertante e metido nas frinchas de cada dia, de cada fato, de cada gesto. sabe aquele ponto em que escrever e viver dá na mesma? porque os dois acontecem juntos e se moldam etc etc.

    ResponderExcluir
  10. aliás, obrigado pelo comentário. foi um marco, sério, importantíssimo pra mim.

    abraço!

    ResponderExcluir
  11. Falando em prosa poética, já leste Gustavo de Castro? Bem, até ;)

    ResponderExcluir
  12. Rodopio ótimo, tudo isso. Bem legal, bem legal.

    ResponderExcluir
  13. que ótimo, antônio!
    essa toda quantidade de coincidências, ou pelo menos na minha vida elas têm se multiplicado, que eu fico feliz de ver acontecendo por todos os lados! e fico contente que você tenha caído nos 12 exemplares e deles gostado e que te tenha sido relevante, cara. valeu mesmo. e um beijo

    ResponderExcluir
  14. "eu sou o que você quiser, baby. e não tenho vergonha."

    Uhuuu
    Muiiiitoo bom texto! Final magistral =)
    Tb no trabalho lendo esse texto tao bem loucamente construído. Adoro teu blog.
    Abraços

    ResponderExcluir
  15. Lembra-te que na última vez em que nos vimos falamos sobre, claro, livros e cá ainda estou lendo Emile Bronte tratadora mestra das palavras quantos a discrição dos conflitos de um século antigo entre pessoas, mas que os trazendo a nossa era, a que beira ao caos, não muito diferente da data de 1801, ano em que se passa a trama brontiana e que através do título me fez lembrar, quando me inclui na parte dos monstros, ratazanas e abajur intolerante talvez as ações demoradas e quem sabe maléficas de muitos, onde ainda me adiciono próprio que sou da parte toda.

    ResponderExcluir
  16. Isto é pegar num diário escrito do avesso, ou procurar lê-lo inversamente.
    Depois de rasgar as folhas em pedaços é tentar compor as partes dando.lhe algum sentido.
    Será que alguem consegue...

    ResponderExcluir
  17. "Sou o que você quiser baby e não tenho vergonha"

    Ótimo. Bom saber que ainda existem pessoas que mesmo em meio a uma sociedade clichê, sabe demonstrar que pode ser diferente. Gostei disso.

    E, a propósito, estou a te seguir. Espero que não se importe. Um grande abraço, ótima semana!

    ResponderExcluir
  18. "a dança é o latido dos cães modernos" :-))))

    ResponderExcluir