9.7.12

make no olho



aos bons dias aquele abraço apertado & uns gatos pingados ao redor cantando a melodia do inferno, pois somente eu, sucessivamente, desligo o telefone em acessos de raiva contra meu baby que ainda dorme quando a razão soou como ampulheta.
mais 3 mortes enfileiradas no currículo. ao encerrar a luz você explodiu de volta, me fez desistir dos diamantes no concreto. mas é que às segundas eu não estou aqui. em momento algum foi necessário chá das 5, filme do bergman ou fratura exposta.
deixei de lado a reforma da casa, a decoração do banheiro para acordar na terça-feira com um arco & flecha na ponta dos dedos. o melhor amigo do momento me confidenciou pequenas guerras, quase que revoluções que nem sequer duram 2 meses.
aí não perdi tempo. parei de beber & me desorganizei visualmente. do quinto andar, qualquer corpo reluzente é do tamanho da pedra que me cercou no 1º ato do meu drama.
no chuveiro, confirmei as suspeitas minutos antes de me embasbacar bruscamente contra os azulejos da salvação.

Imagem: Gillian Lambert

18 comentários:

  1. vou nem mentir que tem dias que tô assim mexxxmo e que já matei por muito menos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tô amando as tuas aparições aqui no blog, amiga.

      Excluir
  2. acho domingos piores, mas ótima semana pra você, só porque to mt axé hoje :)

    ResponderExcluir
  3. já perdi a conta das vezes que li o teu texto, e de todas as vezes sai-me esta palavra, que acho que entenderás como um elogio

    PORRA

    beijo

    ResponderExcluir
  4. te dizer o quê? Teu texto é no mínimo intrigante.

    Gostei das formas e coisa e tal. Anotei teu canto pra nunca perder de vista. Anyway, fantástico.

    Beijinho, MF.
    Palavras e Silêncio

    ResponderExcluir
  5. viajei lendo.
    pra onde eu não sei.

    ResponderExcluir
  6. gosto de azulejos salvadores e revoluções que duram menos de dois meses.

    ResponderExcluir
  7. Adorei, especificamente, "a razão soou como ampulheta" e "o melhor amigo do momento".

    Ninguém entende sobre "melhor amigo do momento" mais do que eu.

    ResponderExcluir
  8. Seu texto me fez imaginar vários cenários: primeiro um bar (daqueles chiques, com uma pegada rock'n'roll O_O), depois duas pessoas num sofá, alguém visualizando uma planta de projeto.... lembrei também de uma cena de O grito, no comecinho, na varanda...
    Enfim, esse texto faz qualquer um viajar e viajar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. super surpreso com essa percepção, gabriela. :) super valeu.

      Excluir
  9. Só mesmo com muita Make de coragem nos olhos para enxergar as loucuras dos dias.

    ResponderExcluir
  10. Caro, Que é isso???!!!!

    "no chuveiro, confirmei as suspeitas minutos antes de me embasbacar bruscamente contra os azulejos da salvação".
    Os azulejos já foram salvação inúmeras vezes. Continuam sendo...

    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  11. Make no olho. Roxo é o novo cara limpa.

    ResponderExcluir
  12. Pois sempre dizem que é no chuveiro que temos nossas maiores revelações... se não forem revelações, são ideias que mudam o mundo.

    ResponderExcluir