23.5.12

there´s more to life than this, né?

bobinho.
incrível como eu superestimo o inferno dos medos, nervosismo sem conjugação, copos quebrados na mesa, fatura do cartão de crédito. insônia dos dias super desenvolvidos na ofensa, uns contra os outros, meu bem. há tempos cansei das mesmas falas. gente linda pintando vida perfeita que você não vê por aí. existe um complô? uma redução nos gastos? dormir ao som das trombetas do deus-dará numa corrida contra o tempo.
amando enquanto há tempo. sofrendo enquanto há tempo.
e depois?
a cilada das comparações. você versus você. o mundo versus o mundo.
bobinho.

18 comentários:

  1. Caralho, eu queria roubar isso tudo pra mim.

    ResponderExcluir
  2. "gente linda pintando vida perfeita que você não vê por aí..."

    E eu achando que ia passar por aqui sem levar um nocaute.

    #bobinha.

    ResponderExcluir
  3. Meu inferno diário é feito de procrastinações... E não durmo, não faço minha monografia, não termino meu relatório, não procuro a casa da minha amada... E fico vivendo esse inferno que eu mesmo faço. :( Cara, a parte dos cartões de crédito eu amei! hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é justamente o lance da pós-modernidade que oprime e deprime, no caso. :) obrigado pelo comentário, hugo.

      Excluir
  4. Não é? Presos todos na redoma de serem e serem e serem, de vez em quando terem, mas sentir, nada. Falta espaço. Falta.

    ResponderExcluir
  5. Bobinhos daqueles que só vivem do medo.
    Vez em quando eu ando bobinha. Acho que todos precisamos de um pouco disso na vida.

    beijo

    ResponderExcluir
  6. Bobinhos daqueles que esquecem de VIVER.

    Muito bom! Fragmentos pós modernos do cotidiano...

    ResponderExcluir
  7. Você versus você. Eis o empate desastroso.
    GK

    ResponderExcluir
  8. toda essa coisa que veio junto com a modernidade, é tão deprimente, às vezes eu passo por eremita, mas não tenho contas em redes sociais e consumo tudo o que vejo, justamente por já ter entendido que tudo isso só oprime. só que nessas eu acabo enfrentando uma parte da vida sozinha, já que quase todo mundo que conheço consome e passa boa parte do tempo nisso, de "gente linda pintando vida perfeita que você não vê por aí". :l

    ps: eu geralmente assisto filmes primeiro antes de ler o livro, Submarine por exemplo não desencadeou uma grande curiosidade, só o filme já foi ok. maaaas, se você ler me conta ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. carolina sweetheart, é sempre uma alegria ter você por aqui. sim sim, caso eu leia o livro te conto tudinho. fiquei super na curiosidade. beijo. ;)

      Excluir
  9. O final do seu texto me fez lembrar Letuce:
    "você vezes você, quanto que dá?"

    Bjo

    ResponderExcluir
  10. ai, pode citar kid abelha? (eu tenho uma música pra tudo, já percebeu? trabalhei anos com isso, então releve.)
    "eu tenho pressa e tanta coisa me interessa, mas nada tanto assim" e a gente tudo no raso.

    à toa mas não de graça, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. miro, tô indo no google pesquisar essa música. rs

      Excluir
  11. Sempre nos pegamos nesse impasse Você x Você...ainda bem que não estou sozinha nisso tudo rsrsrsrs.

    ResponderExcluir
  12. "amando enquanto há tempo. sofrendo enquanto há tempo.
    e depois?" Depois estou perdido! Sempre haverá um depois, só se pode pensar nisso sozinho, do mesmo jeito que se respira. Quando é o depois? A partir do momento que houver um antes, e o durante ficar reclamando por um sentido, do mesmo jeito de uma coisa por um nome.

    ResponderExcluir